quarta-feira, fevereiro 17

Umami, é disso que precisamos



   O corpo humano é a maior perfeição da natureza, possuindo vários mecanismos e funções que podem aparecer inacreditáveis. Uma dessas funções vitais e básicas – que serve desde quando bebês, para descobrirmos o mundo, até a fase adulta, para sentirmos os prazeres que ele nos oferece − são os cinco sentidos.
  O tato, o paladar, a visão, a audição e o olfato. São eles os responsáveis por quase tudo em nossas vidas. Com essa convicção instalada em mim, esses dias me veio um pensamento: com toda a exatidão dos sentidos no campo biológico, por que não aplicar nossos conhecimentos sobre eles à nossa vida e extrair disso algum aprendizado? Isso serviria para trazer novas experiências e reflexões a nossas mentes.
  Com essa pergunta comecei a analisar um por um, sentido por sentido e percebi que o  que mais se encaixaria na parte racional era o paladar e ele foi escolhido por uma pequena particularidade que poucos conhecem.
  O paladar é composto por cinco sabores básicos: amargo, ácido, salgado, doce e o umami − sim, isso mesmo − umami. O umami, por si só, não é de grande valia, mas a sua principal característica é realçar o gosto dos outros sabores, assim fazendo um gosto já conhecido por nossas papilas gustativas tornar-se mais marcante e com traços diferentes.
  Sendo assim, cheguei à conclusão de que é disso que precisamos: mais umami em nossas vidas, realçar os momentos, não fazer as coisas simplesmente por fazer. Ir atrás daquele abraço que tanto nos faz bem e manter-se abraçado por alguns segundos a mais do que o normal; parar com a correria do dia para ter um encontro agradável, sem muitos planos, com algum grande amigo verdadeiro e confidente. Deixar o ócio corriqueiro de lado e analisar o que caiu na rotina, perceber as modificações que devem acontecer e dar a devida atenção às coisas que são extremamente boas e importantes para nós, mas que, com a repetição diária, acabamos deixando, sem querer, entrar no campo das coisas comuns. Tornar melhores aqueles domingos sem graça com os familiares de casa e, ao invés de aturar sua presença, fazer-se presente a eles e criar novas maneiras de interação.
  Umami é transformar os detalhes sem graça em conteúdos incríveis, é fazer uma leitura dos momentos e perceber como são importantes mesmo que já conhecidos e frequentes, dando a eles novos ares. É perceber que a vida é passageira e que somos muito grandes de conteúdo e vontade para ficar sempre com a mesma percepção sem graça dos fatos.

  Como acredito que é sempre bom reavaliar as coisas e dar a devida importância aos momentos e acontecimentos, nada melhor que o umami para nos ajudar. É isso que eu quero para mim e desejo a vocês: umami.

Imagem por Pixabay
Autor:

Um comentário :

  1. Adorei o seu texto, Raphael! Não sabia muito sobre o umami e confesso que não tinha os relacionado inicialmente. Foi ótima a abordagem que você fez entre ambos. Parabéns! E, muito obrigada pela indicação. Sucesso!

    ResponderExcluir