Nós criamos nossos próprios fantasmas

Escreva um comentário



  A vida nada mais é do que uma busca e sempre buscamos aquilo que nos traz alegria, satisfação, paz de espírito e por aí vai. Fazemos isso para fazer valer a pena o tempo que estamos aqui e, quando chegar o final da vida e olharmos para trás, mesmo sabendo que nem tudo foi perfeito, queremos ter a sensação de dever cumprido.
  Atrás dessa busca, tomamos muitos caminhos e decisões; ao mesmo tempo em que isso é necessário para que possamos crescer, é também o lugar em que mora o perigo, e as consequências de uma escolha mal feita podem ser terríveis.
  Nossos fantasmas aparecem no momento em que fazemos uma escolha errada e os motivos por que erramos são muitos, como: buscar ter algo em um tempo errado ou quando nos vemos cegos pelo desejo de realizar que nem prestamos atenção na razão e nos fatos, ou ainda o instante no qual não escutamos nossa voz interior ou sequer seguimos nossos instintos.
  O resultado de tudo isso é a criação definitiva de nossos fantasmas. Esse fantasma a que eu me refiro é aquela oportunidade que você deixou passar, mas que, no ato dos acontecimentos, nem se deu conta dela. Aquela mulher que habita seus pensamentos, a mesma mulher que você buscou e pela qual gastou sua energia, sem ninguém pedir nada e não deu certo. As atitudes que você deixou de tomar no seu emprego e com isso não conseguiu galgar para um lugar melhor.
  Os fantasmas são isso, o peso que carregamos dos nossos erros e que sempre martelam em nossas mentes. Mas que fique clara uma coisa: os erros vêm dos ideais que nós buscamos e não dos erros que outros tentaram nos passar, pois não carregamos as falhas dos outros quando permitimos que eles entrem em nossas vidas. Não estou tirando a responsabilidade do erro que outras pessoas possam cometer e nem estou dizendo que o erro que elas cometeram com você não vai martelar na mente delas incansavelmente, pois vai, mas mesmo assim não carregamos os erros delas, e sim a nossa culpa por ter permitido com que aquela pessoa entrasse em nossa vida, seja por uma busca nossa ou por ter aceitado a busca dela.
  Fazemos as buscas, mas nem sempre dá certo, ás vezes buscamos em um tempo inadequado, de uma forma equivocada ou até mesmo colocamos os fins de uma procura nossa na decisão do outro, sem nos lembrarmos de que, antes de a outra pessoa tomar o veredito, algumas vezes quem foi até ela fomos nós mesmos e que se ela não corresponder a nossa busca, o certo é ir embora.
  Ir atrás de suas realizações é o resumo da vida, mas precisamos fazer isso com sensatez e clareza, para evitarmos ao máximo criar fantasmas. Pense no seu caminho, planeje-o com atenção, pergunte-se se é isso mesmo que você quer. Não estou dizendo para ser um covarde e restringir-se a qualquer problema que possa aparecer em sua escolha, mas eu quero dizer que, se você escolheu esse caminho e fez esses planos, mesmo com a consciência de que algumas pedras possam aparecer, você escolheu com a certeza de que era isso que você queria e que você vai dar o seu melhor. Lembre-se: mesmo se os fantasmas aparecerem, eles não são eternos e, se nós os criamos, o tempo vai se encarregar de desfazê-los. Evite-os ao máximo com suas ações, mas não tenha medo de encontrá-los. Acredite.

#FORÇACHAPE

0 comentários:

Postar um comentário